Cidadania

Por dentro do mercado de seguros inexplorado da África — Quartz Africa Member Brief — Quartz

Olá membros da Quartz Africa,

A África tem uma das taxas de penetração de seguros mais baixas do mundo: menos de 3%. A média global é mais que o dobro, o que significa que a população africana está lamentavelmente sem seguro e milhões de pessoas não têm uma rede de segurança financeira.

A indústria de seguros do continente luta por várias razões, entre as quais a falta de desenvolvimento. Obter seguro é um processo longo e complexo, e as pessoas são céticas em relação às companhias de seguros devido ao longo tempo de processamento de sinistros que raramente se materializam.

Mas o apetite da África por seguros está crescendo. A maior parte desse crescimento deverá vir de vida individual e previdência, sendo o seguro de automóveis o que mais contribui para o seguro não vida. Isso se deve ao crescimento da crescente classe média da África, mas também ao aumento dos riscos econômicos causados ​​por pandemias, desastres naturais e turbulência política.

Especialistas dizem que, para atender à crescente demanda, o mercado de seguros da África precisará de uma reforma. E com a explosão local da fintech, juntamente com o aprofundamento da penetração de smartphones e internet, o setor de seguros está buscando soluções digitais. O seguro digital, ou insurtech, torna o seguro mais acessível e acessível. Os clientes podem pagar contas, visualizar políticas e enviar reclamações por meio de um aplicativo, onde antes podiam esperar por um telefonema.

A indústria apelidada de ‘gigante adormecido da África’ está começando a acordar.

Folha de dicas:

💡 A oportunidade: Com 97% do continente sem seguro, há um enorme mercado disponível. A tecnologia pode chegar às massas com seguros acessíveis, oferecendo-lhes uma rede de segurança financeira formal e eficiente.

🤔 O desafio: Ainda há uma baixa demanda por seguros devido à falta de conscientização e também falta de confiança com as seguradoras tradicionais. Isso continua sendo uma grande barreira para o crescimento do mercado.

🌍 O roteiro: Trazer mais seguradoras e empresas para plataformas digitais, ao mesmo tempo em que conscientiza os clientes sobre a importância do seguro.

💰 Partes interessadas: A regulamentação governamental tem um papel importante a desempenhar, mas mais seguradoras e empresas precisam fazer a mudança digital para oferecer os produtos certos aos seus clientes.

para os dígitos

2,8%: Taxa de penetração de seguros na África

US$ 68 bilhões: Valor da indústria de seguros africana em termos de prêmio bruto emitido (GWP), que é uma medida do prêmio total (direto e presumido) emitido por uma seguradora antes das deduções para resseguro e taxas de cessão. O GWP da África é o oitavo maior do mundo.

7: Países africanos onde 83% dos prêmios estão concentrados: África do Sul, Quênia, Egito, Nigéria, Argélia, Namíbia e Tunísia

70%: Prêmios contabilizados pela África do Sul, o maior e mais estabelecido mercado de seguros

54%: Porcentagem de prêmios sul-africanos que são para seguro de vida

o estudo de caso

Nome: Minha

Campus: Nairobi, Quénia

Fundador: Jihan para baixo

Prêmios escritos: US$ 1 milhão +

Fundada em 2018 no Quênia, a Lami é hoje uma das maiores empresas de insurtech do continente. Ele fornece uma plataforma digital que distribui produtos de seguros usando uma interface de programação de aplicativos (API), conectando empresas a seguradoras que podem subscrever qualquer novo produto que criem.

A empresa entrou no mercado pela primeira vez em 2020 com um modelo B2C, mas mudou para B2B após o lançamento de seu aplicativo de seguro automóvel, Griffin. Desde então, a Lami fez parceria com mais de 12 empresas, incluindo: Stanbic Bank, Sendy (uma startup de entrega), Kenya Commercial Bank e SkyGarden (um site de varejo online) para oferecer produtos que vão de seguro saúde a seguro residencial. Hoje, a startup conta com 25 seguradoras e mais de 80 mil apólices, e cobra uma taxa por cada uma.

Captura de tela do aplicativo Griffin Insurance

Uma vez que novos produtos de seguros tenham sido escritos, as empresas podem se conectar à API Lami e vender seguros por meio de um aplicativo ou site. Os clientes podem obter uma cotação, adquirir a apólice, receber todos os documentos da apólice e enviar reclamações online. A compra de seguro por meio da Lami leva minutos em vez de alguns dias, e a empresa diz que cumpre as reivindicações em uma semana, em comparação com uma média do setor de 60 a 90 dias.

Em maio do ano passado, a Lami levantou US$ 1,8 milhão em financiamento inicial. Este ano, a empresa adquiriu a Bluewave, uma startup de insurtech sediada no Quênia especializada em produtos de microsseguro para pessoas de baixa renda. A recente aquisição deu à Lami a entrada no Malawi e na República Democrática do Congo.

em conversa com

Jihan Abass, cofundador da Lami

A fundadora da Lami, Jihan Abass, começou sua carreira como trader de commodities em Londres, mas queria causar impacto em casa. Abass voltou ao Quênia, onde uma conversa aleatória a inspirou a aprender mais sobre o setor de seguros da África. Isso é um pouco do que ele compartilhou com Quartz.

💡 Ao iniciar o Lami:

Aconteceu quando entrei num café em Mombasa. Conversei com o garçom, que me disse que não tinha plano de saúde. Fui até uma toca de coelho pesquisando seguros para ver por que as pessoas não compram esses produtos. Vi que os produtos de seguro estavam lá no Quênia, mas faltava a infraestrutura digital.”

👩🏿 Sobre ser uma mulher fundadora:

Muitas vezes, como mulheres, duvidamos de nós mesmas e nos preocupamos se temos ou não o conjunto de habilidades certo, mas temos a capacidade e devemos trabalhar duro para aprender a exibi-la. É importante atrair mais mulheres para a ciência, tecnologia, engenharia e matemática (STEM) e ter esquemas de orientação. Conseguir mais investidores do sexo feminino que possam apoiar startups lideradas por mulheres também é fundamental.”

🤩 Sobre tornar o seguro acessível a todos:

“Nosso produto de seguro mais baixo começa em 30 centavos. Queremos garantir que o seguro esteja disponível para todos, independentemente da renda. Recentemente adquirimos uma empresa de microsseguros para nos ajudar a acessar esse mercado.”

Ofertas de seguro para 👀

Em fevereiro, a primeira seguradora digital da Nigéria, mandioca, levantou US$ 4 milhões em financiamento inicial, o maior financiamento inicial até hoje para uma empresa de insurtech africana.

ETAP, uma startup de insurtech sediada na Nigéria que se concentra em seguros de automóveis, garantiu US$ 1,5 milhão em financiamento pré-seed em abril. Atualmente, 21% dos 12 milhões de veículos registrados na Nigéria têm seguro de carro.

Mais recentemente, a startup de insurtech egípcia bom cervo levantou US $ 1 milhão em uma rodada de pré-seed. A startup facilita o seguro saúde entre provedores, seguradoras e beneficiários.

Mais quartzo África

🔨 Quem está construindo a infraestrutura tecnológica para as empresas africanas?

🚜 Uma startup de insurtech queniana para diminuir o risco de agricultores está se expandindo para a Ásia

🙋‍♀️ Quartz Africa Innovators 2021: mulheres inovadoras lideram o caminho

🎵 Este curta foi produzido ouvindo “Nairóbipor Bensoul ft Sauti Sol, Nviiri the Storyteller, Mejja

Tenha um resto de semana muito motivado,

—Priya Sippy, colaboradora da Quartz Africa com sede em Londres

Uma 👭🏽 coisa

Em 2021, Jihan Abass foi uma das poucas mulheres na África a arrecadar mais de US$ 1 milhão em financiamento inicial para seus negócios. Embora as startups africanas tenham arrecadado cerca de US$ 5 bilhões em 2021, menos de 1% do dinheiro foi para startups com uma fundadora ou CEO do sexo feminino.

Source link

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo