Cidadania

Crianças fora da escola na África Subsaariana chegam a 100 milhões — Quartz Africa

Índia, Nigéria e Paquistão são os três países com os maiores números de 244 milhões de crianças fora da escola no mundo, segundo novas estimativas da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

De particular interesse é o fato de que o número parece estar aumentando na África Subsaariana, enquanto tende a diminuir no resto do mundo. Além da Nigéria, onde agora há mais de 20 milhões de crianças fora da escola, Etiópia, Tanzânia, República Democrática do Congo e Sudão estão no top 10, nada lisonjeiro, com China, Indonésia e Bangladesh.

“Desde 2009, a população fora da escola aumentou em 20 milhões, atingindo 98 milhões em 2021”, diz o relatório sobre a África Subsaariana.

É pior no nível do ensino médio.

As crianças com idades compreendidas entre os 12 e os 14 anos (para o ensino secundário inferior) e entre os 15 e os 17 anos (para o ensino secundário superior) são as mais afetadas e os números absolutos para ambas as categorias têm aumentado nas últimas duas décadas.

Na única boa notícia para a África, parece que há mais crianças na escola primária do que nos anos anteriores. Ainda assim, a África Subsaariana também é uma das três regiões onde há mais mulheres do que homens fora da escola, sendo as outras duas Oceania, Norte da África e Ásia Ocidental.

Conflitos e turbulências políticas em várias partes da África ajudaram a limitar as oportunidades dos pais de enviar seus filhos à escola. Na Nigéria, o problema do Boko Haram afetou particularmente a matrícula de meninas nas escolas com os sequestros do grupo.

Source link

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo