Home Cidadania Huawei é um teste para a Grã-Bretanha após o Brexit – Quartz

Huawei é um teste para a Grã-Bretanha após o Brexit – Quartz

7 min read
0
0
9

Após duas falhas, o Reino Unido finalmente deixará a União Européia em 31 de janeiro, uma medida que mudará suas relações comerciais com o resto do mundo. Embora muitas das implicações permaneçam TBD, a Grã-Bretanha já enfrenta um de seus primeiros grandes desafios: como entrar em uma linha tênue entre a China e os EUA. UU.

No centro do problema está a gigante chinesa de tecnologia Huawei, a maior fabricante mundial de equipamentos de telecomunicações, que espera receber notícias do Reino Unido nas próximas semanas sobre como pretende implementar os equipamentos da empresa em sua implantação de rede 5G. Washington, que há tempos vê a Huawei como uma grande ameaça à segurança nacional, está pedindo a Londres que proíba a empresa chinesa de construir sua próxima geração de redes sem fio: enviados dos EUA. UU. para lobby de última milha. Citando essas preocupações de segurança, os Estados Unidos colocaram a Huawei na lista negra de comércio em maio passado, interrompendo a empresa de fornecedores norte-americanos.

A China, por sua vez, também vem pressionando o Reino Unido e outros países europeus. Ele chegou ao extremo de ameaçar a Dinamarca de abandonar um acordo comercial com um território dinamarquês autônomo sobre o assunto, enquanto o embaixador chinês na Alemanha alertou que haveria "consequências" se o país excluir a Huawei. A Deutsche Telekom congelou as ofertas 5G no momento.

A decisão de Londres sobre a Huawei é difícil. Ele espera aprofundar seu relacionamento especial com os EUA. UU., Seu maior parceiro comercial individual, com um comércio bilateral que ultrapassou os US $ 260 bilhões em 2018. No período anterior ao Brexit, o primeiro-ministro Boris Johnson deixou claro que está disposto garantir um acordo comercial favorável com os Estados Unidos, com observadores políticos que apontam que o cálculo moldou sua cuidadosa resposta ao assassinato de um alto general iraniano pelos Estados Unidos. Acessar os desejos dos EUA sobre a Huawei pode ajudar.

No entanto, a Huawei há muito tempo é um fornecedor importante para o setor de telecomunicações britânico, e não há muitas alternativas, o que significa que o não uso da Huawei poderia desacelerar o desenvolvimento 5G do Reino Unido. Embora esse possa ser um dos argumentos de Pequim (parede de pagamento), também é o que dizem as empresas britânicas de telecomunicações. Além disso, com a relação pós-Brexit com a Europa ainda não está claro (o bloco é o maior parceiro comercial do Reino Unido se considerado como um todo), o comércio britânico de US $ 87 bilhões (cerca de £ 70 bilhões) com A China, seu sexto maior parceiro comercial, não é insignificante.

Os comentários de Boris Johnson em uma reunião da OTAN no mês passado pareciam sugerir que o lobby dos EUA está se mostrando bem-sucedido. O primeiro-ministro disse que a questão de poder cooperar com parceiros-chave na troca de informações "será o critério-chave que informa nossa decisão sobre a Huawei". Como parte de seu lobby, Washington alertou que sua troca de informações com o Reino Unido poderia ser reduzida se este decidir usar a Huawei, embora o chefe do MI5 da Grã-Bretanha no domingo (12 de janeiro) tenha dito que não esperava o uso do equipamento A Huawei prejudicará essa cooperação.

No entanto, o atraso em anunciar uma posição clara significa que a decisão pode ter que se curvar à situação no terreno. As empresas britânicas de telecomunicações já começaram a usar equipamentos da Huawei em partes "não centrais" (paywall) da rede sem fio de última geração, em consonância com uma decisão vazada do governo de Theresa May no ano passado. Em outubro, a Huawei afirmou ter garantido mais de 60 contratos comerciais 5G (paywall), cerca de metade deles com operadoras européias, incluindo várias britânicas.


Fonte da Matéria

Load More Related Articles
Load More By 
Load More In Cidadania

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Também

SpaceX enfrenta seu teste final antes que possa levar astronautas a órbita – Quartzo

Da nossa obsessão O setor privado está saindo da atmosfera. Antes de um carro chegar às ro…