Cidadania

Adani planeja um aumento de US$ 100 bilhões em energia verde em 10 anos

Gautam Adani, a segunda pessoa mais rica do mundo, planeja investir US$ 100 bilhões na próxima década, principalmente no espaço de energia verde.

O presidente de 60 anos do Adani Group da Índia disse que, juntamente com a transição energética e as oportunidades digitais, seu grupo também se concentrará em aeroespacial e defesa, metais e petroquímicos.

“…Já somos o maior player solar do mundo e pretendemos fazer muito mais. Neste contexto, a Adani New Industries é a manifestação da aposta que estamos a fazer no espaço da transição energética”, afirmou Adani na The Forbes Global CEO Conference 2022, em Singapura.

“Hoje, podemos afirmar com confiança que temos uma linha de visão para primeiro nos tornarmos um dos produtores mais baratos de elétrons verdes e o produtor mais barato de hidrogênio verde depois disso”, disse Adani no evento de Cingapura.

A ascensão de Adani ao topo na Índia

Começando como uma empresa de comercialização de commodities no final da década de 1980, o Grupo Adani deixou sua marca por décadas na produção de carvão, geração de energia térmica e infraestrutura.

É agora o maior operador portuário privado da Índia e está expandindo seus negócios aeroportuários. Adani também está se aventurando em cimento, mídia e metais.

O novo plano de energia da Adani segue o anúncio de Mukesh Ambani em agosto da meta da Reliance Industries (RIL) de investir US$ 25 bilhões para expandir e diversificar seu império de US$ 221 bilhões.

Os dois bilionários parecem estar competindo no espaço de energia verde e renovável da Índia desde a entrada da RIL no ano passado com um plano de energia renovável de US$ 10 bilhões.

Em geral, a Índia tem procurado expandir sua capacidade de energia verde, mas as metas foram perdidas principalmente devido a projetos economicamente inviáveis, juntamente com a inércia entre as autoridades.

Source link

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo