Cidadania

A divisão rural-urbana ainda é a história da política americana – Quartz


Há muito que ainda não sabemos sobre a eleição presidencial dos EUA em 2020. Uma coisa que sabemos é que a divisão rural-urbana continua sendo uma grande parte do que separa o país politicamente. As pessoas nas partes mais densas dos Estados Unidos inclinam-se fortemente para os democratas e as áreas rurais predominantemente para os republicanos.

O gráfico abaixo mostra a participação de votos de Joe Biden em cada um dos cerca de 2.200 condados onde todos os distritos relataram e onde há mais votos em 2020 do que em 2016 às 15h ET. ., 5 de novembro (o objetivo é garantir que a análise pegue apenas os condados onde a grande maioria dos votos foi contada). Os dados mostram que em quase metade dos condados com menos de 100 pessoas por quilômetro quadrado, Joe Biden ganhou cerca de 30% dos votos, em média. Nos 170 condados com mais de 2.000 habitantes por milha quadrada, ganhava cerca de 55% em média. Felizmente para Biden, é claro que há muito mais pessoas nesses lugares densamente povoados.

1

Esta história usa densidade populacional ponderada. Isso significa que, em vez de simplesmente dividir a população total pelo total de milhas quadradas, encontramos a densidade de cada bairro e consideramos nossa medida de densidade representativa de onde a maioria das pessoas vive.

Embora o padrão geral não tenha mudado muito de 2016 a 2020, parece que Biden fez progressos em condados que não eram nem muito densos nem muito rurais. Nos quase 150 condados com entre 2.000 e 5.000 pessoas por milha quadrada, Biden aumentou a porcentagem média de votos democratas em cerca de dois pontos percentuais. Locais com este nível de densidade geralmente incluem cidades de médio porte e os subúrbios de grandes cidades, como o condado de Gwinnett na Geórgia, uma parte dos subúrbios de Atlanta que se moveu seis pontos percentuais em direção a Biden, e o condado de Johnson em Kansas, onde Biden ganhou mais de cinco pontos percentuais. O condado de Pima, que inclui a cidade de Tucson, mudou quase quatro pontos percentuais para Biden.

William Frey, um demógrafo da Brookings Institution, diz a Quartz que a preferência urbana por democratas se resume principalmente a opiniões sobre religião e diversidade. Moradores urbanos de todas as rendas tendem a ser mais seculares e pró-aborto. Também é mais provável que sejam pessoas de cor ou conheçam outras pessoas de cor, diz Frey, e acreditam na importância de promover a diversidade por meio de programas como a ação afirmativa. Em condados onde mais de 90% da população se identifica como branca, o Partido Republicano teve em média 70% dos votos em 2016, em comparação com 43% em condados onde os brancos eram minoria.

Os americanos da zona rural tendem a ser mais religiosos, anti-aborto e direitos sobre as armas, menos propensos a acreditar que o racismo é um grande problema nos Estados Unidos. A plataforma GOP se adapta melhor a essas visualizações. É um lembrete de que não é apenas Trump que divide a América, mas crenças políticas reais.



Fonte da Matéria

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar