Cidadania

Qual país tem as metas climáticas mais ambiciosas? – quartzo

[ad_1]

Os Estados Unidos se catapultaram para o topo dos países com as metas climáticas mais ambiciosas nesta semana, depois que o presidente Joe Biden anunciou que reduzirá as emissões de gases de efeito estufa (GEE) em pelo menos 50% abaixo dos níveis de 2005 a 2030.

Para comparar as ambições dos países em termos de maçãs com maçãs, Victoria Cuming, chefe de política global da BloombergNEF, analisou os números sobre as promessas climáticas dos países do G20. Ele concluiu que a meta dos EUA está entre as metas mais ambiciosas em relação à trajetória de emissões do país “como de costume”. As emissões dos EUA estão cerca de 20% abaixo dos níveis de 2005 hoje, um número que provavelmente aumentará durante a recuperação econômica após a pandemia. Isso significa que os Estados Unidos provavelmente terão a mudança econômica e social mais rápida entre os principais emissores de GEE como resultado da descarbonização na próxima década.

Mas outros países estão definindo o padrão ainda mais alto, avaliando seu progresso em direção a zero líquido, concluiu Cuming. Em termos de emissões absolutas e per capita, o Reino Unido rouba a cena. Nesse sentido, os Estados Unidos têm muito a fazer para alcançá-lo. As emissões per capita de GEE nos EUA permanecem entre as mais altas do mundo e provavelmente permanecerão altas mesmo se a meta para 2030 for atingida.

Classificação Lacuna para BAU Emissões absolutas Emissões per capita
1 EUA 🇺🇸 Reino Unido 🇬🇧 Reino Unido 🇬🇧
dois EU-27 🇪🇺 EU-27 🇪🇺 EU-27 🇪🇺
3 Japão 🇯🇵 Brasil 🇧🇷 Índia 🇮🇳
4 Austrália 🇦🇺 EUA 🇺🇸 Brasil 🇧🇷
5 Coreia do Sul 🇰🇷 Canadá 🇨🇦 Japão 🇯🇵
6 Rússia 🇷🇺 Austrália 🇦🇺 México 🇲🇽
7 Reino Unido 🇬🇧 Argentina 🇦🇷 Indonésia 🇮🇩
8 Arábia Saudita 🇸🇦 Japão 🇯🇵 Argentina 🇦🇷
9 México 🇲🇽 Coreia do Sul 🇰🇷 EUA 🇺🇸
10 Indonésia 🇮🇩 Rússia 🇷🇺 Coreia do Sul 🇰🇷

[ad_2]

Fonte da Matéria

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo