Cidadania

Produção global de petróleo já perto do pico da capacidade: quartzo

Com os preços da gasolina nos EUA ainda acima de US$ 4,50 o galão, o presidente Joe Biden está sob enorme pressão para equilibrar o mercado global de petróleo. Pedir aos consumidores que usem menos petróleo é um beco sem saída político. Sua melhor aposta é fazer com que os produtores bombeem mais barris. Ele espera fazê-lo durante uma visita à Arábia Saudita e aos Emirados Árabes Unidos nesta semana.

O problema é que a produção global de petróleo já está praticamente a todo vapor. A produção na maior bacia de óleo de xisto dos EUA atingiu um recorde em junho. Para alguns membros da OPEP, incluindo Nigéria e Líbia, a perfuração é prejudicada pela má gestão e pelo conflito. A Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos têm um pouco mais de capacidade de perfuração, mas não está claro se eles estarão dispostos ou serão capazes de usá-la. Considere estes dados de junho:

Reduzir os preços da gasolina também será difícil, já que a capacidade de refino de petróleo dos EUA está em seu ponto mais baixo em oito anos. E as usinas que estão online não estão conseguindo lucrar em cima do alto preço do petróleo.

Em uma previsão de 12 de julho, a Opep disse que espera que a oferta global de petróleo fique atrás da demanda até 2023. Portanto, não prenda a respiração para fazer uma pausa na bomba.

Source link

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo