Cidadania

Por que Shonda Rhimes estava certa em deixar a ABC por um passe para a Disneylândia – Quartz


Pode ser difícil saber quando é hora de parar de trabalhar. Mas uma nova entrevista com Shonda Rhimes destaca uma regra prática importante: quando você se sente desvalorizado, é hora de começar a procurar um novo emprego.

Na entrevista ao The Hollywood Reporter, Rhimes, o criador de séries de sucesso como Anatomia de Grey Y Escândalo-Ele explica que em 2017 sua relação com a ABC foi tensa, com muitas batalhas por tudo, desde orçamentos a conteúdo. Mas a gota d’água em seu relacionamento com a ABC veio na forma de um ingresso para a Disneylândia.

Ela recebeu dois passes com tudo incluído como parte de seu acordo com a ABC, que é propriedade da Disney, mas solicitou uma passagem adicional para sua irmã para uma viagem em família. A história explica:

Depois de algumas trocas indesejadas, “Nós nunca fazemos isso”, disseram a ele mais de uma vez, Rhimes recebeu um passe adicional. Mas quando suas filhas chegaram a Anaheim, apenas um dos passes funcionou. Rhimes fez uma ligação para um executivo sênior da empresa. Certamente resolveria isso.

Em vez disso, o executivo supostamente respondeu: “Você não tem o suficiente?”

Rhimes estava fora de si. Ela agradeceu a ele pelo tempo dispensado, desligou e ligou para o advogado: Pense em uma maneira de levá-la ao Netflix, ou ela encontraria novos representantes.

Alguns podem argumentar que Rhimes, como um showrunner bilionário de enorme sucesso, não teve que se preocupar com um ingresso que ela mesma poderia ter comprado. Outros podem sugerir que você errou ao pedir esse tipo de favor à sua empresa.

Mas o problema não é se Rhimes poderia pagar uma passagem. Claro que ela podia, mas a Disney também podia, especialmente para a superestrela cujo império da televisão havia rendido à empresa mais de US $ 2 bilhões.

A verdadeira questão nesta história não é o dinheiro, mas o que a passagem de ida e volta simboliza. Rhimes sentia que ela trabalhava para uma empresa que barganhava com ela até mesmo em assuntos triviais e tentava envergonhá-la quando ela pedia mais.

A pergunta do executivo: “Você não tem o suficiente?” É o tipo de culpa que os gerentes costumam usar para tentar dissuadir as pessoas de pedir aumentos ou defender a si mesmas. De acordo com um certo tipo de lógica do empregador, é simplesmente de mau gosto pedir o que você quer, em vez de se contentar com o que você obtém. E as mulheres, especialmente as negras, que violam essa regra podem ser penalizadas em conformidade.

Michaela Coel, criadora da série de televisão aclamada pela crítica da HBO Eu posso te destruir, recentemente contou uma história relevante sobre suas tentativas de negociar 5% dos direitos autorais da série.

Coel relembra um momento de esclarecimento quando falou com um executivo sênior de desenvolvimento da Netflix e perguntou se ele poderia reter pelo menos 5% de seus direitos. “Havia apenas silêncio no telefone”, diz ele. “E ela disse: ‘Não é assim que fazemos as coisas aqui. Ninguém faz isso, não é grande coisa ”. Eu disse:“ Se não for grande coisa, então eu realmente gostaria de ter 5% dos meus direitos ”.

Nesse caso, o executivo estava tentando minimizar a importância de uma questão que era claramente importante para a Coel e, ao fazê-lo, informava a Coel que aquele não era o tipo de lugar que valorizava suficientemente seu trabalho e talento.

Erica Joy, diretora de engenharia do GitHub, destacou isso no Twitter em referência à história de Rhimes, escrevendo: “Estamos constantemente recebendo sinais sobre o quanto as pessoas ao nosso redor nos valorizam. que um executivo sênior de rede recusou um passe de US $ 154 apontou que o executivo não valorizava @shondarhimes suficientemente. “

Pedir favores, como um passe da Disney, é o tipo de coisa que cai amplamente no reino dos artistas famosos. Mas todo mundo provavelmente já se deparou com certos gestos simbólicos que os informam se seu empregador está investindo neles ou não: um bilhete atencioso de um chefe após uma semana difícil, um desprezo notável na hora de enviar indicações aos funcionários. prêmios. Mesmo os pequenos momentos podem ser bastante reveladores. Como Rhimes, devemos aprender a prestar atenção a eles.





Fonte da Matéria

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar