Cidadania

Pegada de nitrogênio global mapeada pela primeira vez

A primeira pegada global de nitrogênio, abrangendo 188 países, descobriu que os Estados Unidos, a China, a Índia e o Brasil são responsáveis ​​por 46% das emissões mundiais de nitrogênio.

A colaboração internacional, liderada pela equipe de Análise de Sustentabilidade Integrada da Universidade de Sydney na Faculdade de Ciências, descobriu que os países em desenvolvimento tendem a incorporar grandes quantidades de emissões de nitrogênio de suas exportações de alimentos, têxteis e roupas. A Austrália é uma das poucas nações ricas que é um exportador líquido de nitrogênio, devido à substancial indústria agrícola.

A modelagem econômica, que agrupou a pegada de nitrogênio em relações comerciais bilaterais de alto nível, observou uma tendência de aumento da produção de nitrogênio e considerou as nações desenvolvidas, em grande parte, responsáveis ​​pelas emissões no exterior para seu próprio consumo.

PhD candidata Arunima Malik, que foi co-autora do artigo com colegas da Universidade de Sydney, Professor Manfred Lenzen e Dr. Arne Geschke, bem como dois pesquisadores da Universidade Nacional de Yokohama e um da Universidade de Kyushu no Japão, disse importadores de nitrogênio significantes foram quase exclusivamente economias desenvolvidas.

“As nações de alta renda são responsáveis ​​por mais de dez vezes as emissões dos países mais pobres”, disse Malik. “Isso reflete um maior consumo de produtos de origem animal, alimentos altamente processados ​​e bens e serviços com uso intensivo de energia”.

O grande volume de emissões veio de indústrias como agricultura, transporte e geração de energia. As emissões do consumidor-uso final foram principalmente de esgoto.

Um artigo sobre a pesquisa é publicado pela revista internacional Nature Geoscience .

A poluição por nitrogênio estava se tornando um problema cada vez mais significativo, já que os países não apenas consumiam o elemento natural, mas também produziam quantidades maiores de nitrogênio sintético, disse o professor Lenzen. Esperava-se que o novo trabalho da Universidade de Sydney, analisando as tendências, fosse concluído em breve.

“As políticas são necessárias para integrar as cadeias de suprimento de nitrogênio globalmente, a fim de reduzir a poluição”, disse Lenzen. “Sabemos que as emissões de nitrogênio estão aumentando – assim como as emissões de carbono estão aumentando à medida que as populações se expandem”.

“Estamos agora analisando as tendências, como aumento de afluência e consumo, e olhando para as várias indústrias responsáveis ​​pela poluição por nitrogênio.”

Os resultados da pesquisa dos dados de 2010 incluem:

  • O consumo nos Estados Unidos, China, Índia e Brasil é responsável por 46% das emissões globais de nitrogênio.
  • O Japão e outras nações desenvolvidas importam nitrogênio reativo incorporado em roupas feitas na China, bem como carne dos EUA e da Austrália.
  • O Reino Unido, a Alemanha, a Itália e a França trocam quantidades significativas de emissões de nitrogênio incorporadas em produtos alimentícios.
  • As importações de nitrogênio de Hong Kong são produtos agrícolas e crus primários, porque carecem de terras para produzir seus próprios rebanhos e colheitas.
  • Países em desenvolvimento, como China, Índia, Paquistão e Tailândia, incorporam grandes quantidades de emissões de nitrogênio em suas exportações de têxteis e vestuário.
  • As exceções de alta renda são Austrália, Nova Zelândia e Argentina, que exportam nitrogênio significativo incorporado em produtos pecuários.
  • A emissão per capita de nitrogênio variou de mais de 100 kg por ano para nações ricas, como Hong Kong e Luxemburgo, para menos de 7 kg para países em desenvolvimento, como Papua Nova Guiné, Costa do Marfim e Libéria.
  • Dos 189 teragramas de nitrogênio emitidos mundialmente em 2010, 161 Tg foram emitidos pelas indústrias e agricultura e apenas 28 Tg foram emitidos pelos consumidores.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar