Cidadania

O que Mikhail Gorbachev achou de Vladimir Putin? — Quartzo

Mikhail Gorbachev não comentou a guerra na Ucrânia, que por acaso coincidiu com os últimos seis meses de sua vida: ele morreu esta semana. aos 91 anos. Mas o objetivo do expansionismo violento que o atual líder da Rússia, Vladimir Putin, parece perseguir é um exemplo particularmente gritante da diferença entre os dois líderes.

Gorbachev, em última análise, escolhendo a conexão com o resto do mundo e a não-violência, permitiu que a União Soviética desmoronasse. Putin passou suas mais de duas décadas no poder revertendo tantas das políticas de seu antecessor que agora parece possível que ele queira reconstruir a União Soviética, ou algo parecido.

O que Gorbachev achou de Putin?

Externamente, a relação entre os dois homens era respeitosa, embora reservada. Putin não criticou publicamente Gorbachev durante sua vida, embora tenha chamado o colapso da União Soviética de “a maior catástrofe geopolítica do século”. A declaração enviada ontem por Putin à família Gorbachev é um exercício de louvor:

Mikhail Gorbachev foi um político e estadista que teve um enorme impacto no curso da história mundial. Ele liderou nosso país em um período de mudanças complexas e dramáticas, política externa em larga escala, desafios econômicos e sociais. Ele entendeu profundamente que as reformas eram necessárias, se esforçou para oferecer suas próprias soluções para problemas urgentes”, disse o comunicado, enquanto elogiava o trabalho de caridade e humanitário de Gorbachev. Em outras palavras: ele fez mudanças, mas não necessariamente boas; a situação era difícil; ele tentou o seu melhor, mas ele não foi necessariamente bem sucedido.

O Kremlin ainda não disse se Gorbachev receberá um funeral de Estado, como o de seu sucessor imediato, Boris Yeltsin, que morreu em 2007.

Enquanto isso, a atitude de Gorbachev em relação a Putin mudou por muitos anos. Ele criticou a decisão de Putin de buscar um terceiro mandato no poder. “A política está se tornando cada vez mais uma imitação da democracia”, disse Gorbachev na época. “Todo o poder está nas mãos das autoridades e do presidente.” Mas quando Putin buscava um quarto mandato em 2018, Gorbachev parecia mais simpático. Ele endossou o apoio russo ao regime sírio e insistiu que a Crimeia fazia parte da Rússia, mas também insistiu, antes que isso acontecesse, que a ideia de uma guerra entre a Rússia e a Ucrânia era absurda.

O tempo de Gorbachev no cargo foi de fato um momento de mudança “dramática”. Enquanto ele certamente supervisionou atos violentos de opressão, nos estados bálticos, por exemplo, ele escolheu a não-violência como o curso final de seu país. Quando sua política glasnost, ou “abertura”, caiu em cascata no antigo império da Rússia e inspirou seu povo a mudar radicalmente suas vidas, não reprimidas pela força. Em 1991, quando a União Soviética entrou em colapso rapidamente, Gorbachev renunciou.

Putin quer voltar à era pré-Gorbachev

Putin está tentando reconstruir um bloco semelhante ao que ele, como um jovem agente da KGB, viu se desintegrar?

A invasão da Ucrânia em fevereiro de 2022, precedida pela anexação da Crimeia em 2014 e as incursões em território ucraniano desde então, foram descritas como as ações de um homem que quer um país maior. Putin, por sua vez, afirmou repetidamente que os ataques da Rússia à Ucrânia são para defender sua própria segurança e combater o que ele chama de “nazificação”.

Outra grande diferença: em 2019, Gorbachev insistiu durante uma entrevista à BBC que todas as armas nucleares deveriam ser destruídas. O poder geopolítico de Putin é grandemente reforçado pelo fato de que a Rússia manteve uma enorme capacidade nuclear.

Se Gorbachev era “o último elo proeminente com a União Soviética”, sua morte poderia ajudar a apagar a memória russa daquela época, potencialmente dando a Putin ainda mais liberdade enquanto ele tenta escrever um novo capítulo.

Source link

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo