Cidadania

Não corrija a gramática de seus colegas de trabalho até ler isso – Quartzo no trabalho


"Bem, na verdade, é pronunciado …"

Essa correção de interposição parece familiar? Em algum momento de sua carreira, você provavelmente encontrou um ou mais desses personagens no local de trabalho: os deuses da gramática, as estrelas da ortografia, os níveis mais altos de edição e, é claro, a pronúncia do polícia O desejo de ajudar todos nós a "nos comunicarmos adequadamente" pode vir de um lugar bem-intencionado, mas na maioria das vezes deixa o orador ofendido se sentindo irritado ou envergonhado.

O que tem essa retificação de palavras que nos irrita tanto? Talvez se apresente como justiça própria ou cheira a superioridade. Outra razão pode ser a possível falta de confiança ou o relacionamento positivo estabelecido que se tem com o caráter corretivo, de modo que o feedback útil é mal interpretado como um ataque ou crítica.

Talvez haja alguma hipocrisia inata envolvida, em que a pronúncia pode ser precisa, mas emprega poucas habilidades de conversação, evidenciadas pelo uso excessivo das declarações "I", falta de perguntas em aberto ou dependência de monólogos longos. tingida com julgamentos, opiniões e histórias dramáticas.

A correção entusiástica também pode levantar preocupações sobre a capacidade empática. Na busca pela pronúncia perfeita, a razão subjacente à chamada pronúncia errada foi considerada? Além da ignorância, existem vários fatores que podem explicar a pronunciação incorreta, como distúrbio neurológico, comprometimento da fala, perda auditiva ou até fadiga e estresse. E os passos falsos na pronúncia são normais para o curso quando se trata de aprender inglês. Adquirir "pronúncia adequada" é um feito particular quando as palavras são pronunciadas de maneira diferente em todo o país ou no lago.

Mesmo para os logofilistas mais fervorosos, a Merriam-Webster é rápida em nos lembrar que palavras difíceis se escondem em todos os cantos; Ofereça incorretamente esta lista de palavras comumente pronunciadas.

É difícil não parecer maluco ao corrigir alguém em sua pronúncia ou gramática, mesmo quando os comentários devem ser úteis. É muito provável que suas boas intenções sejam interpretadas dessa maneira se você já tiver a confiança do destinatário. Aqui estão três estratégias de comunicação que, com uso regular, fortalecerão seus relacionamentos no trabalho e ajudarão a tornar momentos potencialmente constrangedores mais fáceis.

1. Use idioma inclusivo

Sempre que o uso da palavra "nós" é incorporado à comunicação escrita ou verbal, é muito útil estabelecer um bom relacionamento e estabelecer as bases para a construção de relacionamentos. Mais do que uma pronúncia perfeita, "nós" é indicativo de um líder. O uso da palavra também sugere o potencial de alguém como jogador de equipe.

2. Faça perguntas abertas

Se há uma habilidade de comunicação fácil de dominar, é a arte de fazer perguntas abertas, como "O que a sua reunião abordou?" ou "Como você lidaria com a situação?" Assim como os jornalistas usam 5W e como obter a matéria, essa técnica também pode ser usada para provocar uma conversa mais profunda e evitar uma resposta estagnada de "sim" ou "não" (embora o cuidado deva acompanhar a palavra "por que" porque às vezes pode colocar as pessoas em defesa). Por estar mais preocupado com o interesse do que com o interesse, você certamente conquistará um colega ou um novo amigo.

3. Compartilhe a conversa

Existem inúmeras razões pelas quais as pessoas podem dominar uma conversa e, em muitos casos, elas podem nem perceber sua conversa usual. Para evitar se tornar essa pessoa, primeiro faça uma autoavaliação e verifique o tempo de antena na discussão. Já faz um tempo desde que a outra parte contribuiu? Você se interrompe para obter mais um ponto? Para uma perspectiva adicional, tente visualizar com antecedência como é uma conversa equilibrada e leia este artigo brilhante sobre como uma boa conversa é como um jogo de captura.

A pronúncia e a gramática adequadas têm seu lugar, mas não às custas de habilidades de comunicação emocionalmente inteligentes. Ao incorporar essas três abordagens, as maneiras de criar confiança e conexão se abrirão com mais probabilidade, de modo que, quando surgir a oportunidade de oferecer comentários para melhorar, é mais provável que a mensagem chegue.

Kacy Vega é diretora de comunicações internas da Universidade da Califórnia, San Diego e foi anteriormente membro do conselho da IABC / San Diego como vice-presidente de relações públicas e marketing.



Fonte da Matéria

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar