Cidadania

Incêndios na floresta amazônica vão piorar este ano – Quartz


Para o Brasil, agosto marca o início da estação seca. Todos os anos, neste momento, começam a aumentar os incêndios no país, mas isso não torna normal a conflagração em andamento na Amazônia. Segundo o Inpe, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais do Brasil, os incêndios na área aumentaram em 80% em relação ao ano passado. E os incêndios devem piorar nos próximos meses, à medida que a estação seca da floresta tropical continua.

No entanto, como Mikaela Weisse, do serviço de monitoramento florestal da Global Forest Watch, diz: "Todo mundo fala sobre incêndios até hoje, mas não como é o avanço da Amazon". A análise das detecções de incêndios pelo MODIS, um satélite termal operado pela NASA, mostra que o pior para a Amazônia ainda está por vir, não apenas neste ano, mas em um futuro próximo.

A partir de 2006, o governo brasileiro regulamentou os esforços de desmatamento com a Lei de Gestão de Florestas Públicas (pdf), que estabeleceu um conjunto de políticas administradas por um novo ministério do meio ambiente. Com exceção dos anos do El Niño, que significam seca para grande parte da Amazônia, as florestas tropicais controladas pelo Brasil têm visto fortes reduções na contagem de incêndios durante a estação seca desde que essas leis entraram em vigor.

Mas desde que assumiu o cargo em 2018, o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, expressou sua intenção de fundir esse ministério com o Ministério da Agricultura, um conflito de interesses que prejudicaria os esforços regulatórios de 2006. Bolsonaro vê principalmente a floresta tropical não como um habitat de floresta tropical com um milhão de anos para ser preservado, mas uma oportunidade para ganho financeiro. O agronegócio no Brasil quase alcançou a vitória de Bolsonaro após obter o apoio da Frente Parlamentar Agrícola (APF) do lobby agrícola. O lobby provavelmente não tem reclamações sobre incêndios em andamento; À medida que comem a copa da floresta tropical, a cinza permanece fertilizando o solo por baixo enquanto limpa a terra para o cultivo de gado e soja. Chamas são muitas vezes definidas intencionalmente para este fim.

Se a falta de supervisão permitir que os incêndios atinjam a frequência observada na década de 2000, a Amazônia brasileira pode ver o retorno anual do desmatamento aos níveis pré-regulatórios, que atingiram um máximo de mais de 9.000 quilômetros quadrados em 2004. De acordo com o Monitoramento Atmosférico do Serviço Copernicus, somente os incêndios deste ano liberaram cerca de 251 milhões de toneladas (228 milhões de toneladas) de dióxido de carbono da bacia. A floresta tropical é uma fonte de 2.200 milhões de toneladas de dióxido de carbono a cada ano, segundo o cientista da NASA Espírito Santo.

Além do armazenamento de carbono, a biodiversidade da Amazônia está em risco, diz a Universidade da Califórnia O ecologista de Berkeley Paul V.A. Tudo bem. "A floresta amazônica é o tesouro do mundo. É como em nenhum outro lugar da Terra. A extensão e tamanho dessas florestas intactas … é realmente impressionante. O número incontável de espécies de todos os tipos de seres vivos, muitos milhares de que nunca foram descritos por cientistas … Todos nós devemos nos unir para protegê-lo ".

Com uma administração do lado da abertura da terra à agricultura, o governo brasileiro só pode ser responsável por órgãos externos, talvez na próxima reunião do G7. O presidente francês Emmanuel Macron denunciou os incêndios em 24 de agosto, pedindo ação antes da cúpula, dizendo no Twitter: "Nossa casa está queimando … (o fogo da Amazônia) é uma crise internacional". Sem intervenção imediata, parece que os incêndios continuarão a queimar um dos mecanismos naturais de cura da Terra.



Fonte da Matéria

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar