Cidadania

Funcionários da Apple Store em Maryland votaram para sindicalizar – Quartz

Funcionários de uma Apple Store em Maryland votaram pela sindicalização, anunciaram os organizadores em 18 de junho.

A votação começou no início desta semana na loja da Apple no Towson Town Center em Towson, Maryland, onde os trabalhadores estão em campanha há vários meses. Dos quase 100 funcionários da loja, 65 votaram pela sindicalização e cerca de 33 funcionários votaram contra, relata o New York Times. Agora, os trabalhadores das oficinas se juntarão à Associação Internacional de Maquinistas e Trabalhadores Aeroespaciais (IAM).

“Peço ao CEO da Apple, Tim Cook, que respeite os resultados das eleições e acelere um primeiro contrato para funcionários dedicados da IAM CORE Apple em Towson”, disse o presidente internacional da IAM, Robert Martinez Jr., em comunicado. “Esta vitória mostra a crescente demanda por sindicatos nas Apple Stores e em diferentes indústrias em todo o país.”

Na verdade, funcionários de várias outras Apple Stores podem fazer a mesma coisa em breve. Em fevereiro, o Washington Post informou que a organização sindical havia ocorrido em 14 lojas da Apple Store nos EUA. No momento, a única outra loja que parece estar perto de se sindicalizar está no Grand Central Terminal da cidade. Nova York, onde os trabalhadores compartilham uma petição sobre um voto sindical. Os funcionários de Atlanta chegaram ao mesmo estágio em maio, mas retiraram o pedido.

O sindicato recém-formado em Maryland, chamado AppleCORE, para a Apple Coalition of Organized Retail Employee, é o mais recente sindicato de trabalhadores do varejo entre um número crescente em todo o país. Os funcionários da Starbucks já votaram pela sindicalização em mais de 150 lojas; Organizadores de trabalhadores em um local da Trader Joe em Hadley, Massachusetts, convocaram uma eleição sindical na semana passada, com o objetivo de se tornar a primeira loja sindicalizada dessa rede nacional.

Na semana passada, trabalhadores de uma loja da Apple em Glasgow, na Escócia, também se tornaram os primeiros a votar para se juntar a um grande sindicato no Reino Unido. A Apple tem mais de 500 lojas da Apple Store em todo o mundo, incluindo mais de 270 nos EUA.

O que os funcionários sindicalizados da loja da Apple querem?

Os problemas que levam os trabalhadores do varejo da Apple a se sindicalizar vão além do pagamento e dos benefícios: os trabalhadores também estão buscando uma voz maior nas operações da empresa, conforme relatado pela Quartz. Em uma carta aberta ao chefe da Apple, Tim Cook, no mês passado, os funcionários por trás da campanha AppleCORE disseram que foram inspirados por seu amor por seu trabalho, “não para ir contra ou entrar em conflito com nossa administração”. Seu objetivo, eles disseram, “era obter acesso a direitos que atualmente não temos”.

Mas o pagamento também tem sido uma preocupação entre os trabalhadores horistas, especialmente devido ao aumento da inflação. No mês passado, a Apple elevou seu salário mínimo inicial de US$ 20 para US$ 22 por hora, embora alguns trabalhadores comecem com uma taxa ainda maior, dependendo do mercado. Os funcionários do varejo também recebem US$ 1.000 a US$ 2.000 em estoque e são elegíveis para benefícios. No entanto, alguns funcionários dizem que os salários não aumentaram o suficiente.

Os investidores da Apple, por outro lado, recentemente se beneficiaram de recompras de ações e pagamentos de dividendos. A Apple faturou US$ 366 bilhões em receita em 2021, 36% dos quais foram obtidos com as vendas da Apple Store, relata o Post.

Se outras lojas tentarem se sindicalizar, elas podem enfrentar resistência da gigante da tecnologia. A Communications Workers of America, que apoia os funcionários da Grand Central Station de Nova York, apresentou queixas contra a Apple no National Labor Relations Board, acusando a empresa de usar táticas antissindicais para impedir que os funcionários da loja se organizassem. Os funcionários da loja Towson também disseram ao New York Times que seus gerentes disseram aos funcionários que os sindicatos já proibiram os trabalhadores negros e convidaram os funcionários para conversas privadas nas quais alertavam os trabalhadores sobre os custos das taxas sindicais.

Source link

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo