Cidadania

Como o Togo maximizará o valor do cabo Equiano do Google? – Quartzo África

Na semana passada, o Togo se tornou o primeiro país africano a desembarcar Equiano, o cabo submarino de Internet do Google para a África. O cabo, parte do investimento de US$ 1 bilhão da gigante de tecnologia na África, chegará à Nigéria, Namíbia e África do Sul ainda este ano.

Que bem fará para o Togo, um país de 8 milhões de habitantes?

Uma avaliação de impacto econômico encomendada pelo Google diz que Equiano adicionará US$ 351 milhões (pdf) à produção econômica do país da África Ocidental até 2025 e criará quase 37.000 empregos. Os preços de varejo para acesso à Internet devem cair 14%.

Mas simplesmente aterrar o cabo não alcançará os resultados esperados. Quartz conversou com Cina Lawson, ministra de economia digital e transformação digital do Togo, para descobrir como seu governo planeja fazer o trabalho necessário para maximizar o valor da Equiano. A entrevista a seguir foi editada para maior extensão e clareza.

Qual a importância da infraestrutura como base para a construção de uma economia digital?

Nosso roteiro de desenvolvimento no Togo identifica 42 projetos e três quartos deles têm um componente digital.

Com base nisso, o Ministério da Economia Digital decidiu trabalhar em uma estratégia digital que possui três eixos principais, sendo que o primeiro é ter infraestrutura digital. Isso significa que precisamos ter conexões de internet móvel e fixa. Os países africanos têm todos os tipos de necessidades de desenvolvimento, como seguro de saúde, por exemplo. Mas quando você tem 18 anos, o que você quer é uma conexão de internet muito forte, e você precisa de fibra ótica para isso.

Nossa estratégia lucrativa é implementar infraestrutura de fibra em linhas de energia. Um dos custos da implantação da fibra é cavar o solo e enterrar o cabo profundamente. Em vez de fazer isso, estaremos implantando os cabos em postes que abrigam linhas de energia. Imagine quando você diz a um morador que lhe dará internet de alta velocidade com sua eletricidade a preços acessíveis.

Cinna Lawson

Cinna Lawson

Essa é a nossa visão em termos de base de infraestrutura, e queremos fazer isso agora. Estou absolutamente certo de que é a coisa certa a fazer e se não o fizermos hoje, ainda temos que fazê-lo daqui a 10 anos.

Mas estaremos atrasados ​​como continente e atrás de todos. Eu não quero ficar para trás. Tudo o que precisamos com o tempo é aumentar os lasers que ativam a fibra para que ela não fique obsoleta.

Seu plano de combinar energia com conexões de fibra já está em andamento?

Já está acontecendo, e deixe-me voltar um pouco.

A Equiano, do Google, será administrada por uma joint venture entre a CSquared e a Société d’Infrastructures Numériques (SIN), empresa pública de telecomunicações do Togo. O CSquared é de propriedade do Google, da International Finance Corporation, da Convergent Partners e da Mitsui.

Agora a JV, chamada CSquared Woezon, vai gerir a estação de aterragem do cabo Equiano, mas também vai gerir a fibra ótica nas linhas de alta tensão que ligam o Togo aos países vizinhos: Gana, Burkina Faso e Benin. A joint venture também gerenciará a rede eGov. Na nossa capital, Lomé, ligamos 560 edifícios públicos, incluindo a Universidade de Lomé, a fibra ótica. Estamos conversando com os credores para obter 300 milhões de euros para colocar fibra em todas as linhas de energia.

Onde no Togo essa combinação de internet e energia estará disponível?

Será em todo o país. O Togo tem aproximadamente 1,2 milhão de domicílios. Se implementarmos nosso plano, pelo menos 500.000 residências e 50.000 empresas estarão conectadas a redes de fibra óptica. Portanto, estou falando de uma visão que transformará todo o Togo.

Apenas cerca de dois terços do Togo são cobertos por 3G, de acordo com a GSM Association. O que Equiano fará pelo acesso à Internet no Togo?

Em 2019, começamos a exigir que todas as empresas de telecomunicações convertessem suas redes 3G para 4G. Enquanto isso estiver em andamento, a Equiano mudará a qualidade do serviço e os preços.

Antes de Equiano, o único outro cabo colocado no Togo era o West African Cable System (WACS) em 2012, mas Equiano é o mais avançado até hoje. Para melhorar a qualidade de serviço das redes móveis, precisamos conectar as torres móveis à fibra. Equiano nos dará uma qualidade de sinal mais forte. E então reduzirá os preços porque os provedores de serviços de Internet agora têm uma alternativa ao WACS.

Isso ajudará a construir um ecossistema de startups de tecnologia como o da Nigéria?

Para que um ecossistema aconteça, preciso entregar infraestrutura e trazer negócios para o Togo. Portanto, estou muito esperançoso de que nosso relacionamento com o Google permita que eles venham ao Togo e financiem alguns empreendedores e iniciem esse ecossistema.

Mas temos um problema em termos de formação de jovens empreendedores. Alguns centros de tecnologia estão sendo trabalhados, e espero que quando o cabo estiver operacional, possamos mostrar mais do que estamos fazendo para os empreendedores.

O Equiano é o mais recente projeto de infraestrutura de mudança de jogo ou ainda há lacunas nas quais o Togo precisa investir para preencher?

Sim, ainda temos lacunas. Equiano nos dá capacidade internacional. É como levar um cachimbo para a praia, mas garantir que as famílias tenham internet exige investimentos adicionais. Essa é a fase em que vamos abrigar a fibra óptica nas linhas de energia.

E essa fase de last mile será feita pelo governo ou pelo setor privado?

Será uma combinação de ambos. Embora existam diferentes modelos de implementação de fibra no mundo, devemos levar em conta que na África temos problemas de acessibilidade.

Portanto, queremos reduzir o risco do projeto como um financiamento que contribui para o governo, para garantir que os preços sejam baixos. Se for totalmente liderado pelo setor privado, eles precisarão de um retorno sobre o investimento, o que pode levar a preços altos. Temos que ser responsáveis ​​sabendo que se nossa visão é conectar a maioria dos cidadãos, isso significa que também temos que incluir pessoas abaixo da linha da pobreza.

Inscreva-se para Resumo semanal da Quartz Africa aqui para receber notícias e análises de negócios, tecnologia e inovação africanas na sua caixa de entrada.

Source link

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo