Entenda o que é Seo

Você já parou para pensar em qual é o segredo de alguns blogs ou sites campeões de acesso? Pois saiba que a explicação pode ser mais simples do que você imagina e que os bons resultados e grandes números de acesso deles não acontecem por acaso. É cada mais dia comum na web o trabalho de SEO – Search Engine Optimization.

Traduzindo, trata-se do trabalho de otimizar uma página web, ou mesmo um site inteiro, de modo que ele fique mais “amigável” ou acessível aos sites de buscas. O objetivo das técnicas de SEO é melhorar o posicionamento de uma página nos mecanismos de busca, aumentando a probabilidade de crescimento do número de acessos.

Qualquer um pode aplicar técnicas de SEO em uma página?

Em tese qualquer um pode tornar suas páginas mais acessíveis para os sites de buscas. No entanto, o SEO se baseia em uma série de possibilidades e não é pelo simples fato de você aplicar algumas regras básicas na hora de postar seu conteúdo que seu site aumentará o número de visitantes da noite para o dia.

A maneira como você é visto nos buscadores é um trabalho de SEO
Não é a toa que o número de profissionais que se especializam nesta área cresce a cada dia. Mas você pode fazer a sua parte dando uma mãozinha para os buscadores, entendendo um pouco como eles funcionam e dando a eles a oportunidade de ser encontrado com mais facilidade.

O primeiro passo: a edição das meta tags

Você sabe o que são meta tags? Elas nada mais são do que um conjunto de informações que são colocadas no código HTML da sua página para passar informações aos robôs dos mecanismo de buscas a respeito do seu conteúdo. É como se elas sintetizassem, em poucas linhas, tudo o que usuário irá encontrar naquele endereço URL.

Cabeçalho básico de edição de meta tags
Cada mecanismo de busca tem uma maneira particular de checar e priorizar essas informações. Por isso é importante dar atenção a esse aspecto. Se você tem algum conhecimento de HTML pode editar as informações do cabeçalho da página. Aspectos como título, descrição e palavras-chaves são alguns dos itens que você deve levar em consideração. Se você utiliza algum sistema de blogs, como Blogger ou WordPress, pode encontrar alguns plugins que permitem editar esse tipo de informação sem precisar ter contato direto com o código-fonte.

Você pode conhecer um pouco mais sobre edição lendo o “Search Engine Optimization Starter Guide”, um guia para iniciantes disponibilizado pelo Google. O guia está em .PDF e é disponibilizado também em português.

Mais do que edição de código, SEO é conteúdo

De nada adianta você se preocupar apenas com o código das páginas se o seu conteúdo não é relevante, não é original ou é repleto de erros de português. O primeiro passo para atrair visitantes para o seu site é escrever com freqüência, de preferência um conteúdo inédito e original sobre um assunto. Sites e blogs que apenas copiam informação alheia além de agir de maneira antiética, também acabam por se tornar irrelevantes nos mecanismos de busca.

Conteúdo de qualidade é a melhor maneira de se destacar na web
Lembra das aulas de redação, em que você aprendeu que na estrutura de um texto a informação mais relevante aparece por primeiro e, em seguida você apresenta o desenvolvimento e, por último a conclusão? Aqui a regra vale da mesma maneira. O texto que é apresentado por primeiro tem peso maior que o que vem na sequência. Por isso criar um texto com uma estrutura coesa, e num linguajar correto, ainda é a melhor maneira de cativar a audiência dos seus visitantes.

A importância das Heading Tags

As tags heading (h1 – h6) foram criadas com o intuito de marcar pontos em destaque no seu conteúdo, mas nem sempre elas são usadas de forma adequada para fornecer ao usuário uma boa experiência na leitura.

Os mecanismos de busca definiram que as tags heading possuem um grau de importância no rankeamento, obedecendo a mesma filosofia que nós usamos, na leitura dos subtítulos de um texto por exemplo. Com este “peso” dado as tags heading, um profissional de SEO precisa saber como utilizá-las de forma clara e efetiva.

Como Usar

  1. A tag <h1> deve um resumo do que o usuário vai encontrar no texto;
  2. A tag <h2> deve abordar um conteúdo sub-seqüente do conteúdo da página;
  3. As demais tags obedecem a mesma filosofia.

É importante fixar que cada página deve conter um, e apenas um <h1> e também temos que lembrar que o Webmaster não pode de maneira alguma quebrar a hierarquia de “heading tags”, ou seja, depois de um <h1> implementa-se um <h2> e assim por diante, como no exemplo abaixo:

H1

  • H2
  • H2
    • H3
      • H4
      • H4
    • H3
  • H2

Exemplo Prático

Suponha que você deseja fazer um site de vendas de carros chamado de carros.com.

<H1>A maior lista de carros novos, semi-novos e usados da internet </H1>

Observe no exemplo de H1 acima que foram utilizados algumas possíveis keywords do site e o texto está escrito de forma que o usuário consiga entender.

<H2>Venda de Carros da Marca FIAT</H2>

Já no texto do H2 temos algo mais especifico, ou seja é uma subseção do H1, e novamente colocamos algumas keywords do site no H2, isso ajuda e muito os motores de busca e o usuário a acharem o que eles precisam no site

<H3> Venda de Carros Fiat Punto </H3>

Assim como no H2, o H3 tem que ser um complemento do H# superior. E essa regra deve ser seguida até a tag H6.

O Poder das “Headling Tags”

O que acontece normalmente é que os Webmasters focam tanto importância ao H1 que se esquecem do poder que as tags H2, H3… H6 possuem. Vários testes recentes mostram que as tags H2 estão ganhando força no Google e assim vários websites estão perderndo uma grande oportunidade de atrair mais visitantes.

Ferramentas

Existem várias ferramentas na internet que auxiliam o Webmaster para validar se as tags heading estão corretas, mas a que destaco é o plugin Web Developer para o Firefox.

Com ele podemos verificar quais heading estão faltando, se eles estão preenchidos corretamente e outros dados.

Bem simples não? Espero que tenham gostado desta dica.

Até a próxima!