Cidadania

Alemanha e França se preparam para cortes de gás enquanto Putin aumenta ameaça – Quartzo

O presidente russo, Vladimir Putin, intensificou a ameaça de cortar as exportações de gás para “países hostis” hoje (31 de março). Ele assinou um decreto exigindo que os compradores estrangeiros pagassem o gás russo em rublos até amanhã, ou enfrentariam as consequências.

“Ninguém está nos vendendo nada de graça, e também não faremos trabalhos de caridade, ou seja, os contratos existentes serão interrompidos”, disse Putin. A economia russa foi dizimada pelas sanções ocidentais impostas pela invasão da Ucrânia, com o mercado de ações fechado por várias semanas e o valor do rublo atingindo mínimos recordes.

A Europa, que importa 40% de seu gás natural da Rússia, está se preparando para uma possível escassez se Putin cumprir sua ameaça.

Alemanha e França se preparam para cortes de gás

Em 30 de março, a Alemanha ativou seu primeiro sinal de alerta antecipado no plano nacional de emergência de gás por temores de que a Rússia interrompesse severamente o fornecimento de energia. O governo alemão disse que uma equipe de crise está avaliando o suprimento de gás do país e incentivando residências e empresas a economizar energia.

“Estamos em uma situação em que, devo dizer isso claramente, cada quilowatt-hora de energia economizada ajuda”, disse o ministro da Energia alemão, Robert Habeck. A Alemanha depende mais da Rússia para o gás natural do que qualquer outro país europeu, importando 1,7 trilhão de pés cúbicos no ano passado.

A França também encorajou “aqueles que podem”, em particular empresas e equipamentos públicos, a economizar eletricidade e gás. Embora o país obtenha cerca de 70% de sua eletricidade de usinas nucleares, usa gás natural para aquecer residências e aumentar a oferta de energia durante os picos de demanda. Em entrevista à FranceInfo em 29 de março, o especialista em energia Thierry Bros alertou que Putin poderia cortar o fornecimento de gás do país “a qualquer momento” e disse que o país deveria se preparar para tal cenário.

Em outros lugares da Europa, a Áustria ativou seu sistema de alerta para garantir a segurança do fornecimento de gás e disse que pretende encerrar todas as importações de petróleo russo até o final do ano.

Se a Rússia cortasse completamente o fornecimento de gás para a Europa, isso custaria à Gazprom, fornecedora de gás patrocinada pelo Estado, pelo menos US$ 200 milhões por dia, de acordo com um relatório da empresa Geopolitic Intelligence Services.

Source link

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo