Cidadania

A China criou um número recorde de bilionários, apesar de Covid-19 – Quartz


A China acrescentou 257 bilionários em dólares americanos em agosto, somando-se aos 621 existentes, de acordo com a Lista de Ricos da China Hurun divulgada anualmente na terça-feira (20 de outubro), que tem monitorado a riqueza dos ultra-ricos por 22 anos. No geral, a China tem 878 bilionários, o maior número que o país já viu. Em 1999, não havia um único bilionário na China.

No total, a China tem 2.398 habitantes com patrimônio líquido de mais de 2 bilhões de yuans (US $ 290 milhões), o limite que consta da lista. Os ricos têm uma riqueza combinada de US $ 4 trilhões, que é semelhante ao PIB da Alemanha, acima dos US $ 2,6 trilhões em 2019.

A China ultrapassou os Estados Unidos pela primeira vez em número de bilionários em 2015 e agora tem mais deles do que qualquer outro país do mundo, segundo Hurun. Os Estados Unidos agora têm cerca de 700 bilionários.

“O mundo nunca viu tanta riqueza criada em apenas um ano. Os empresários chineses se saíram muito melhor do que o esperado. Apesar do Covid-19, eles alcançaram níveis recordes ”, disse o presidente da Hurun, Rupert Hoogewerf. Várias novas listagens e altas no mercado de ações ajudaram a criar novos bilionários, disse ele.

Grande parte da criação de riqueza ainda está dentro do setor de tecnologia. Jack Ma, o ex-fundador e CEO da Alibaba, manteve seu primeiro lugar na lista pelo terceiro ano consecutivo com um patrimônio líquido de quase US $ 60 bilhões, um aumento de 45% em relação ao ano passado graças a um mega IPO de sua divisão. de tecnologia financeira. Bom desempenho de Ant Financial e Alibaba. Pony Ma, o CEO da Tencent, forte rival do Alibaba, ficou em segundo lugar na lista com um patrimônio líquido de US $ 57,4 bilhões.

Os resultados pintaram um quadro impressionante da rápida recuperação econômica da China a partir da Covid-19. Enquanto os críticos se perguntavam se o surto se tornaria o “momento de Chernobyl” na China, em meio à crescente miséria e descontentamento dos cidadãos com o governo no auge da pandemia, Pequim já voltou. em terreno relativamente sólido, graças às suas medidas draconianas de controle da pandemia.

A China registrou ontem um crescimento de 4,9% do PIB no terceiro trimestre graças à recuperação da produção industrial e das vendas no varejo, ante queda de 6,8% e expansão de 3,2% no primeiro trimestre. e segundo trimestre, respectivamente. Um dos principais motores da recuperação vem da melhoria da confiança do consumidor, com os cidadãos agora prontos para fazer compras e viajar novamente. O aumento na confiança provavelmente se refletiu melhor no boom de “viagens de vingança” durante o feriado de oito dias da China no início de outubro, quando um total de 637 milhões de viagens foram feitas dentro do país.

No entanto, há sugestões de que o hiato de riqueza da China está aumentando durante a pandemia, com os ricos se recuperando rapidamente enquanto os mais pobres continuam sofrendo com a falta de apoio financeiro.



Fonte da Matéria

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar